Cadastre-se   Esqueci a senha?
Dicionário de português
Dicionário de português

Sua historia - Quando o amor muda a sua vida



ganhar prêmios por atividade cursos rapidos e baratos aula virtual

historias de amor
primeira palavra
ultima palavra
contador de palavras

Envie sua história







dicionario de verbos
dicionario sinonimos
dicionario de palavras
dicionario de frases

Aprender uma língua:
Frases em inglês Frases em espanhol Frases em alemão

Aprendendo:
# Analisar uma frase
Ajudando:
# Frases para traduzir
Respondendo:
# Dúvidas com palavras

jogos online diversão para toda a familia





Quando o amor muda a sua vida

escrito por acmjnba@gmail.com em 20. Februar 2014:


Eu sempre gostei de histórias, sempre lia a dos outros, sempre busquei histórias para me emocionar, até guardo em um arquivo varias histórias que copiei, mas não imaginava que teria a minha própria história pra contar, embora sonhasse tanto com isso...

Já aos 30 anos, solteira, com uma filha pequena, e responsável por uma casa, com família, aluguel, comida e contas, me vi desesperada e procurei por alguma coisa que aumentasse a renda já que trabalhava meio turno em uma empresa, mas que o salário não era suficiente para nos manter. Uma amiga então me ajudou, indicou uma vaga de diarista num prédio com apartamentos de alto padrão. Tive receio em lidar com pessoas milionárias, mas enfrentei.

No primeiro dia limpei todo o belíssimo apartamento com muito medo de quebrar alguma coisa, e depois de umas horas chegou o dono , um homem lindíssimo, mais lindo que qualquer artista de cinema, alto, moreno de olhos verdes, muito bem vestido e muito educado, me tratou muito bem, deu boas vindas e até apertou a minha mão, falei que estava suja mas ele não se importou com isso. Eu limpava o apartamento dele duas vezes na semana, mas era tão limpo que se limpasse de 15 em 15 dias já era o suficiente, mas ele queria duas vezes por semana mesmo. Pagava muito bem, ele era dono de uma construtora e sócio de outra empresa do ramo alimentício. Sua família eram duas irmãs que moravam nos EUA e os pais que moravam na Europa. Somente ele morava no Brasil.

Com o tempo fui sabendo mais sobre ele e algumas vezes conversávamos. Muitas mulheres viviam ligando, mas ele me ordenou a não informar seu celular para nenhuma delas e muito menos se ele se encontrava em casa. O porteiro havia me dito que ele tinha uma namorada mas que terminou, pois ele não gostava de se envolver sem sentimento. No quarto dele tinha muitos livros de literatura, romances, poesia. Ele ouvia música clássica, tocava piano e tinha uma sala de cinema e um escritório também dentro do apartamento, estava sempre sozinho ou com poucos amigos. Nas reuniões quando eu estava lá ouvia apenas conversas sobre trabalho...

Depois de alguns meses percebi que ele gostava de conversar comigo, e então me convidou pra andar na praia só pra fazer companhia, eu inventei que teria que ir pra casa, mas ele insistiu e então fui, enquanto andávamos ele pediu para que eu contasse minha vida, eu disse que não tinha nada de interessante e ele mais uma vez insistiu mas não falei muito, apenas como vivia. Ele então me ofereceu emprego em alguma de suas empresas, mas eu não aceitei.

Então na outra semana ele me fez outra proposta, que eu saísse do meu outro emprego e ficasse só com ele, já que eu sabia cozinhar tão bem e como ele confiava tanto em mim, pediu para que eu ficasse todos os dias em sua casa com um salário maravilhoso, aceitei e foi muito bom. A cada dia a gente se conhecia mais, eu não disse nada mais já estava me apaixonando, ele era um verdadeiro príncipe. Ficamos tão amigos que até assistia filmes com ele na sala de cinema, ele elogiava minha comida, meu capricho, meus cuidados, eu fazia valer o salário tão bom que recebia.

Mas eu estava me apaixonando cada vez mais e sabia que isso não era bom, pois sua vida era o oposto da minha, enquanto ele tinha tudo eu não tinha nada. Eu tentava olhar de fora e via que a história que estava vivendo parecia filme ou novela. A cada dia ficávamos mais próximos, ele me chamava pra sair pra jantar mas eu sempre recusava, nunca comi em restaurante e não tinha roupa mas ele não sabia que era por isso. Um dia cheguei para trabalhar e percebi que ele estava dormindo, não incomodei e deixei mas ele demorou demais para acordar então fui ver o porque. Ele estava ardendo em febre, com calafrios e até delirando, chamei o SAMU e eles só viram que era uma febre e quis levá-lo mas como ele tinha plano de saúde, então me orientaram ligar para o convênio, a ambulância do plano de saúde dele chegou e o levamos, passei a noite lá do seu lado, ele estava muito abatido e mal conseguia se levantar, fizeram vários exames até que descobriram um câncer muito avançado e que precisaria operar rapidamente e fazer quimioterapia. Isso me abalou demais, como um homem tão rico, aparentemente com uma saúde incrível que se alimentava e vivia tão bem poderia estar tão doente? Fiquei chocada. Dei a notícia aos pais e irmãs mas parecem não ter se importado, apenas falaram para que eu o ajudasse a encontrar uma enfermeira particular e que no fim do ano viriam visitaá-lo, mas estávamos em janeiro ainda.

Já em casa conversamos e ele tomou a notícia como uma bomba e se fechou, ia poucas vezes ao trabalho, sentava na varanda e passava dias sem dar uma palavra. Ele operou e em uma semana havia perdido 10 kg, depois começaram as sessões de quimio e foi então que vi o quanto precisava de ajuda, ele não quis uma enfermeira e pediu para que eu assumisse também esse papel. Sua alegria acabou, seu planos e projetos pararam. Eu comecei a ajudar após as quimio e às vezes mesmo sem a quimio ele passava muito mal, não sei de onde tirava forças para carrega-lo pra dar banho, eu também dava comida na boca, ele tinha esperança de melhorar mas não tinha mais forças.

Mesmo assim eu ainda estava apaixonada e mais e mais a cada dia, não tinha nojo de limpar suas necessidades, muitas vezes vomitava tudo em cima de mim e depois chorava muito pedindo desculpa e pedindo pra eu ir embora que eu não merecia estar passando por isso, mas não fui e jamais largaria ele naquela situação.

E enfim veio uma melhora, ensinei ele a ter fé e conseguimos, ele mesmo doente, porém melhor e com doença em tratamento, voltou ao trabalho. Seus amigos se afastaram, as mulheres não ligavam mais e eu ficava com ele o tempo inteiro cuidando dele e da casa. Algumas noites eu passava com ele pois tinha medo de que ele passasse mal como já havia acontecido muitas vezes.

Um desses dias ele passou muito mal e tive que dormir com ele, eu estava tão cansada que dormi, e então acordei pois senti que ele tocava a minha cabeça me fazendo carinho, liguei o abajur e perguntei se precisava de algo ele disse bem baixinho ?sim, preciso de você, preciso que nunca me abandone?, aquilo me tocou de um jeito que chorei muito e me deu vontade de dizer o quanto o amava, mas não disse nada, só choramos juntos.

Ele sentia muita dor e tomava remédios fortíssimos, dava pra ver em seu rosto a expressão de dor, quando estava bem queria viver tudo e sempre que eu estivesse com ele. Nos divertíamos muito, mas ele sempre de uma hora pra outra ficava sério e chorava.

Eu sentia que ele tinha por mim amizade e companheirismo e eu já o amava demais mas não dizia nada.

Então um dia cheguei bem cedo para fazer o café da manha dele e o encontrei já na varanda, estava com dor e chorando muito disse que não queria nada só deitar, levei-o para o quarto ele pediu pra ficar tudo escuro e pediu pra eu deitar um pouco com ele, então ele chorava tanto e sem forças que nem o choro saia direito tentou conversar comigo e disse ?não vivo mais sem você, não vivo, se você não estivesse comigo eu já teria partido?, sua voz quase não saia, mas ele disse mais ?você me vê como patrão e como amigo, vejo você como a mulher da minha vida, eu não fico com uma mulher se não tiver sentimento por ela ou ela por mim, nos damos tão bem e há muito tempo estou pra te dizer uma coisa mas nunca tive coragem e talvez eu não tenha muito tempo então quero dizer agora?, ele chorava enquanto tentava falar eu já estava tremendo então ele disse ?eu te amo? e caiu nos meus braços soluçando de tanto chorar, eu perdi o chão ... minha reação foi chorar muito e dizer que ele não podia me amar que eu jamais poderia entrar em sua família e ele disse ?minha família é você, na minha família cada um cuida de sua vida, estou aqui doente e eles não se importam, só você ficou comigo, sei que você me trata como patrão e amigo mas mesmo assim eu imploro polo seu amor, faço qualquer coisa pelo seu amor?, então abracei e o beijei e ficamos juntos, depois desse dia ele me tratava como sua mulher, mas ninguém sabia, ele estava sempre melhor quando não fazia quimio, mas quando fazia passava a semana toda muito mal. Nas suas melhoras tentávamos aproveitar o que nos restava.

Um dia, de repente, chega seus pais e irmãs de surpresa, foram apenas para visitá-lo e me impressionei quando vi sua família, sem ele saber, já tratando de seu funeral, eu me desesperei, fiquei atordoada. Eles me trataram muito mal e uma de suas irmãs me chamou em particular e disse que sabia que eu estava ali já atacando suas coisas e que estava de olho em mim, quis dizer que eu o roubava e que se ele morresse eu ia assaltar o apartamento e sumir, me ameaçou dizendo que se eu não saísse de lá ia ser pior pra mim e me colocou pra fora pediu pra que eu não voltasse mais. Me senti muito mal, de uma hora pra outra tudo aconteceu, eu estava ali cuidando dele eles chegaram e tudo acabou. Eu sai de lá andando pelas ruas sem chão, o que a irmã dele disse me feriu demais.

Eles passaram um mês com ele e eu sofri muito sentindo sua falta, preocupada se estavam cuidando bem dele. Depois todos voltaram para suas casas no exterior, deixando duas enfermeiras contratadas, fiquei sabendo que a família dele inventou que eu roubei muitas coisas da casa, e eu nunca na vida precisei roubar , me disseram que ele havia piorado demais e segundo ele por não ter meus cuidados. Um dia ele me ligou, foi um dia depois que foram embora, mas pensei muito e não atendi, mas ele ligava o dia inteiro e resolvi atender, ele chorava muito pedindo que eu voltasse, disse que não acreditava em nada do que falaram pra ele e então fui conversar, me assustei com o que vi, ele estava magro demais sem nada de cabelo e não levantava mais da cama não conseguia nem falar direito e só chorava, ficamos tanto tempo sem se ver e mesmo assim era depositado meu salário na conta e eu fui falar com ele disposta a devolver todo o valor, mas ele suplicava por uma explicação pois não estava entendendo nada mais, e como eu o amava muito acabei contando tudo o que a irmã dele fez comigo, e foi então que ele disse acreditar que tentaram nos afastar pois acreditava em mim.

Mas uma ligação mudou tudo, essa irmã dele ligou pra falar comigo e pediu desculpas, disse que havia visto junto com sua irmã e seus pais todos os vídeos gravados pela segurança do prédio e todas as câmeras da casa, que até no quarto dele tinha câmera e eu não sabia, disse que se sentia mal por tudo o que me falou, pois viu os meus cuidados com ele, viu como eu sou responsável e confiável, viu também as vezes em que ele passava mal e eu limpava suas necessidades sem reclamar e viu nossa amizade. Disse que o que mais tocou foi um dia em que passei o dia todo cuidando dele e quando ele dormiu fui pra cozinha chorar. Ela disse que viu momentos dele sozinho chorando e falando de mim.

Mesmo depois de tudo e de voltarmos a ficar bem eu não dizia o quanto o amava então criei coragem e falei depois de uma noite toda levando ele pro banheiro, carregando ele que era tão alto, e que mesmo magro era pesado pra mim, era difícil carrega-lo, então depois de dar banho nele, coloquei roupas e cobertor, deixei ele aquecido, dei uma sopa os remédios e deitei ao seu lado e disse que o amava desde os primeiros dias, ele disse que sabia que ia morrer mas que pelo menos morreria sabendo que conheceu o amor verdadeiro e que mesmo sem eu falar ele via que eu o amava pelo meu olhar.

Ele só piorava, eu passava mais tempo com ele do que com a minha família, e um dia senti umas dores estranhas e tive um sangramento, procurei o hospital, fiz uns exames e depois a medica disse ?você vai ter que ficar em repouso por uns dias mas seu bebe está ótimo? eu perguntei bebe? Como assim bebe? Não estou grávida! Ela disse que sim, eu estava gravida e já de 20 semanas, no ultrassom mostrava que ele esta super bem e que era um menino. Sai de lá atordoada e quando encontrei ele abracei muito chorando e contei, ele não se conteve de emoção chorava e ria! Ate então eu não sentia nada e com uma semana o bebe começou a mexer, sua família se alegrou, ele teve até uma melhora mas achava que não conheceria o filho.

Mas ele conheceu, e depois de algumas semanas mesmo doente curtia muito seu filho, eu e minha família nos mudamos pra sua casa, foi um pedido dele. Tratava minha filha como se fosse sua, nos casamos e ele resistiu bravamente, disse que queria ver a festa do filho e viu.

Um dia ele acordou dizendo que estava bem mas sentia uma coisa estranha, uma tontura, então me abraçou e disse ?amor, se eu partir hoje não fica triste porque pra onde eu for vou continuar te amando?, eu pedia pra ele parar de falar assim e ele disse ?só estou resistindo por causa de você e do nosso filho, vocês são meus motivos para estar aqui fora isso eu não aguento mais?, a gente chorava tanto abraçado e ele dizia não encontrar mais forças e que achava que não aguentaria a próxima quimioterapia. Pediu pra eu pegar nosso filho e abraçou a gente sem aguentar, ele não andava mais só levantava a cabeça um pouco e eu tinha fé mas ele se entregou.

No momento em que eu cuidava do nosso filho ele tocou o sininho e eu fui correndo pro quarto, ele queria ir ao banheiro mas falei que ele estava de fralda que poderia fazer ali mesmo e eu limpava como sempre fiz, ele estava sentindo dores fortes e eu chamei o socorro, ele estava sem febre e pelo contrário, estava gelado e suando, os olhos fixos em mim e tentando falar, eu abraçava ele dizendo pra ter força, que o medico estava chegando e que a gente amava ele demais, mandava respirar fundo mas ele não aguentava ele conseguiu dizer apenas ?não vou conseguir, amo vocês? e apagou nos meus braços. Foi horrível, quando o socorro chegou já era tarde, enquanto esperava pela sua remoção, nosso filho não saia de perto dele e nem eu, e nosso filho dizia ?acorda papai? eu também pedia isso e sentia um vazio, como sinto até hoje que meu coração parece que foi arrancado. Minha filha também sentiu muito, e toda minha família também, pois ele nos tratava como parentes e mudou nossa vida que era tão sofrida, antes dele chegamos a passar fome. Ele dizia que o destino nos uniu pra um mudar a vida do outro.

Essa história poderia ter sido com um final feliz mas a maldita doença o levou, levou o homem que eu amava. Em seu testamento ele deixou tudo pra mim, havia feito o testamento bem antes e bem no início da descoberta da doença e antes mesmo de saber que seria pai. Sua família não se pronunciou mas entendeu a atitude do filho.

De uma coisa eu sei, o amor verdadeiro só acontece uma vez na vida, e eu jamais quero outro homem, muitos dizem que ninguém vive só, mas eu acho que vive sim, não quero outro homem, eu nunca precisei de homem pra viver, estamos bem mas a falta dele e o seu lugar vazio me dói demais, não vou jamais colocar outra pessoa em seu lugar, já se passaram alguns anos e mesmo vivendo bem, eu sofro sem o amor dele. Sonho muitas vezes com ele, penso nele o tempo todo e até hoje não me conformo, meu filho é igualzinho ao pai, olhos do pai, rosto e jeito do pai. Tudo o que foi dele e que ele passou pra mim estou cuidando para um dia ser cuidado por nosso filho. Não sei se ele pode estar nos vendo mas gostaria muito que ele pudesse ler essa história só pra ele poder ler uma coisa que ele já sabia, mas que continua firme e forte até o meu fim: AMOR EU TE AMO ETERNAMENTE.


Tags: solteira | amor | vida





© 2007-2016 by Dicionário online de português
Procure em mais de 5 milhões de palavras.
Sobre nós | Nossa história | Dúvidas? | Banner | Regras e termos de uso | Política de privacidade | Programa de Afiliados

Projeto de Conhecimento - a fim de promover o idioma português e reforçar a importância individual de palavras em português com aula virtual (perguntas e respostas), traduções em inglês, espanhol e alemão, significados, sinônimos e verbos. Seu dicionário português online.