Cadastre-se   Esqueci a senha?
Dicionário de português
Dicionário de português

Sua historia - CW&AL



carros viaki
ganhar prêmios por atividade cursos rapidos e baratos aula virtual

historias de amor
primeira palavra
ultima palavra
contador de palavras

Envie sua história







dicionario de verbos
dicionario sinonimos
dicionario de palavras
dicionario de frases

Aprender uma língua:
Frases em inglês Frases em espanhol Frases em alemão

Aprendendo:
# Analisar uma frase
Ajudando:
# Frases para traduzir
Respondendo:
# Dúvidas com palavras

jogos online diversão para toda a familia







CW&AL

escrito por Caio Wurtz Dias em 7. August 2010:


Minha história começa em 2OO8. Para ser mais exato, conheci minha atual namorada no final de fevereiro de 2008, acreditem; foi por um jogo online. Jovens; com uma vida longa e muito tempo para desfrutar do que a de melhor. Porém o amor nos contorce e distorce, nos faz chorar, sorrir, lamentar, perder, ganhar..
Foi um flerte em pleno jogo mesmo.. com todas as maluquices que o jogo nos oferecia.
Uma ato simples, como quem não quisesse nada que nos uniu. Estava sentada sem fazer absolutamente nada quando a encontrei. Não da para dizer q foi amor a primeira vista de forma alguma, afinal estavamos jogando. Eu a presenteei com um simples laço de cabelo. Um acessório para enfeitar seu personagem... fútil pois não servia para nada. Era desse modo de ver que eu encarava aquele simples lacinho rosa, mas percebi que ele passou muito além das minhas expectativas. Talvez porque o laço fosse bonitinho pelo fato de ser rosa e combinar com a personagem, ou quem sabe foi meu ato de caridade que a comoveu. Nada mais fiz. Apenas entreguei o lacinho rosa esperando reações, ate mesmo um simples obrigado eu ja estaria bem recompensado.
Me lembro da pergunta que ela me fez. - "Porque me deu esse lacinho?". Lógico para não me demonstrar confiante ou que esperasse uma relação seria com a garota do lacinho respondi meio sem jeito " Não tenho o que fazer com ele, não combina com o meu personagem ". Desde então nossa vida mudou radicalmente. Pouco mais de 1 mês estavamos "namorando" virtualmente.. para nós estava tudo perfeito. Alguns não levam a sério um relacionamento pela internet.. Meu modo de pensar, é que a unica diferença é não estar proximo da(o) amada(o), o amor que sentimos é indiferente desde que seja verdadeiro. Nosso primeiro mês juntos foi mil maravilhas. muito românticos um com o outro. No segundo mês começamos com algumas trepidações na relação. As conversas romanticas ja não eram mais as mesmas. As vezes conversavamos apenas quando um fazia o login no jogo. Casos extremos e conversas bobinhas que não tinham continuidade. Paravam apenas no Oi, Tudo Bem?.

Não me lembro muito bem em que dia, ja faz um bom tempo. Estávamos completando exatos 2 meses com o nosso namoro.. Me lembro também que nesse dia iriamos nos casar, no jogo. Meu mundo caiu. Explicarei o porque. Para se casar nesse jogo, tem que possuir uma quantia um tanto elevada para a cerimônia. Um jogo mercenário ao meu ver, porém viciante. Enfim, eu acabei vendendo todos os meu equipamentos para me casar *-* eu estava feliz. Vai conversa, vem conversa e de repente.. o clima fica tenso entre nós. "Amor vou tomar banho e jaja eu volto" foi o que eu disse ja com as lagrimas de crocodilo escorrendo em meu rosto. No banheiro eu estava sozinho e foi la que eu me banhei com as próprias lágrimas. Voltei ao computador ainda com as lagrimas escorrendo, porém com menos frequencia. Chegamos então na parte mais dramatica e triste da relação.. "Você quer terminar?" disse eu. "Estaria mentindo se eu dissesse que não". Foram suas ultimas palavras que eu aceitei ler e tentar compreender. Após isso eu desloguei do computador irritado frustrado triste e chorando demais. Estava revoltado com a situação e de alguma forma eu queria que ela ficasse sentida com a situação. Então eu escrevi um texto enorme em sua pagina de recados do orkut --' acho que consegui. Ficamos então um bom tempo sem nos falar .

Ferias de 2008. Acho que as considero as melhores que ja passei. Muitas festas, baladas com os amigos. Curtição. Iniciei também nessa data meu primeiro emprego. Eu tinha apenas 15 anos e estava trabalhando em uma empresa que trabalha e presta serviço aos advogados de São Paulo. A minha futura profissão brevemente. Aprendiz, trabalhava apenas 4 horas diárias, das 14:00 as 18:00. Saia da escola de manhã as 12:30, almoçava na casa da minha avó correndo para não perder o onibus, tirava o uniforme do colégio e corria pro ponto. Vestido todo de social, me achava um pateta quando passava na frente de alguns amigos. As vezes desviava o caminho para não nos cruzarmos, acho que pelo fato de eu ser novo não queria encarar brincadeiras bobas. Me encomodavam de certo modo. Adorava as quartas feiras. Era o dia mais legal. Eu fazia um curso de capacitação dos aprendizes, aprendiamos de tudo. Adorei as aulas de Marketing. Minha professora, mais conhecida por mim como "sôôôra". Flavia ela se chamava. Muito paciente, formada em psicologia. Perdia a paciencia comigo quando me mandava entregar uma atividade na quarta feira. Quem disse que eu entregava? Sempre esquecia de fazer.Meu dilema era "posso entregar na sexta?" xD Nunca entregava também. Chegava os finais de semana. Jogava futebol na rua, taco com os amigos, andava de bicicleta para tudo que era canto. Era tudo muito bom. Hoje em dia minha bicicleta esta encostada num canto do meu quintal, enferrujada, faz muito tempo que não jogo taco, e aos domingos eu e meus amigos alugamos uma quadra para jogarmos futebol durante algumas horas. Definitivamente a minha vida de aprendiz estava para acabar . Tinham planos para que eu fosse efetivado na OAB e fui.Em março de 2010 fui efetivado. Nunca senti tanta falta de ser aprendiz na vida.

A vida foi seguindo pelo resto de 2008 ainda como aprendiz. Chegaram as ferias de dezembro. Não foram tão boas quanto eu esperava que fossem, embora eu estivesse saindo com meus amigos pra la e pra cá eu sentia falta de um amor verdadeiro mesmo. Estava complicado até demais encontrar alguém que me completasse. Meu vicio continuava firme e forte pelo jogo. Me renovei por completo, ate fiz um novo personagem. Comecei tudo do zero novamente e estava decidido a não ficar lembrando o que passou. Conheci novas amizades, ajudava bastante gente e a minha ambição de crescer no jogo e ser reconhecido estava em alta .

Pois bem... O mundo da voltas, isso eu acho fascinante! Em janeiro de 2009 eu tinha criado ate um novo msn, o antigo estava com tanta gente que eu não conversava ou não conhecia. As pessoas que eu ainda gostava eu estava adcionando novamente. Talvez seja destino, não há explicações. Mas eu queria conversar novamente com a minha ex-namorada virtual. Talvez até recomeçar a relação. No mesmo instante em que eu estava digitando seu endereço de e-mail, me apareceu um convite para aceitar ou recusar. Inesplicavelmente era ela. Voltamos a nos falar. Fiquei sabendo que ela estava solteira, o caso anterior não havia dado certo. Fiquei aliviado, pensei que teria alguma chance. Foi um periodo para nos conhecermos novamente. Contamos um ao outro o que passamos nesse periodo separados. A amizade voltou com toda força, consequentemente os sentimentos foram ressurgindo .-.

Era ela.. eu estava destinado a amar ela. Não é algo facil de explicar, o amor que sinto é de verdade. Nunca amei assim, é muito bom mesmo! Decidido e jurado de amor; fiz minha proposta. "Se quando estivermos com 23 anos formos solteiros, independentemente do que aconteça, você aceita se casar comigo?" pode parecer um tanto precipitada para quem lê, mas eu afirmo por mais que tudo que foi de coração mesmo que eu propus. Decidimos recomeçarmos, embora as dificuldades prevalecessem.
Brincadeiras mais intimas foram surgindo, mensagens trocadas praticamente todos os dias até no horario das aulas. 2009 foi um ano longo. Não demoramos muito para nos acostumar. A cada dia que passava era mais um dia que aguentamos ficar juntos. De vez em quando surgia alguma discussão. Eram motivos muito bestas e logo estavamos bem, firme e forte novamente. A cada dia que passava aumentava a tensão, a vontade de nos conhecer pessoalmente. Juras de amor eram feitas todos os dias! Passamos por 2009 separados um do outro pela distancia, mas unidos mais do que nunca *-*

2010 foi um ano revolucionário! Em janeiro estava confirmado para nos vermos. Ela viria para São Paulo com os pais. Eu estava feliz, preocupado e ao mesmo tempo aflito em conhecer seus pais. O que achariam de mim? O que achariam da minha familia? Ocorreu tudo MUITO bem! Saímos para o shopping, apresentei aos pais o parque do Ibirapuera.. basicamente ficamos indo somente nesses lugares. Calmos e querendo ganhar tempo juntos. Nosso primeiro beijo *-* foi na frente de uma grande vidraça de vidro que dava em direção a avenida. Foi um momento tão bom. Me senti em paz. O momento durou, porém como era a primeira vez que nos encontrariamos e como seus pais estavam junto, eles ficavam em cima de nós. Segurança, é claro. Estavamos aconchegados um nos braços do outro proximo a muralha de vidro do shopping, de repente o seu celular toca. Eram seus pais.. queriam saber onde estavamos, pois saímos da área de alcance da vista deles. (dscp ae pai ^^). O resto da tarde voltamos ao hotel que ela estava hospedada. Ses pais subiram para o quarto e nos deixaram sozinhos no terreo. Ficamos nos beijando em uma area pequenina reservada. Sentamos cada um em uma cadeira e a viramos um para o outro. Malditas cadeiras. Nos deixou com uma dor nas costas terrivel. Na hora.. quem disse que eu sentia dor?
Era a primeira vez que nos encontramos e meu pai, a ovelha negra XD, tinha planejado uma viagem com alguns amigos e a familia -.- foi dificil! Minha namorada chegou a tarde de quinta feira em Sampa. A viagem do meu pai estava marcada para sexta feira -.- após o almoço. Simplesmente eu acordei cedo.. e fui ao hotel de encontro a minha namorada. Ficamos juntos ate o meio dia, meu pai me ligou e me pediu para que fosse para casa terminar de arrumar as malas porque ja estávamos de saída. Lágrimas de crocodilo começavam a escorrer T.T Cheguei em casa detonado com raiva e tudo o que possam imaginar de pensamento ruim dessa viagem -.- No caminho eu lhe mandava mensagens e começava a chorar D: até que eu dormi e só acordei ao chegar na casa da praia. Se tudo ocorresse a favor dessa viagem miserável -.- eu so a veria denovo na segunda feira. Ela iria embora na Terça. Estava sendo ate então um desastre, o tempo não passava e voltamos a nos comunicar por mensagens. E foi nesse troca troca de mensagens que eu tive uma boa noticia :D seus pais estavam dispostos a irem a praia e passar o fim de semana todos juntos. *-* Sabado logo pela manhã eles estavam na praia conhecendo meus pais e eu estava com o amor da minha vida devolta *-* Foi o melhor fim de semana naquela casa da praia *-* Minha namorada voltou pra São Paulo no domingo a noite com seus pais.. eu iria embora na segunda feira pela manhã e de la iria direto para o hotel me encontrar novamente com minha Adriana! Segunda feira.. elas nunca mais foram as mesmas, especiais como aquela.

Terça feira, 26 de janeiro de 2010.
O dia em que minha namorada iria voltar para Fortaleza. Acordei extremamente cedo para aproveitar cada minuto a seu lado. Não saímos. Ficamos no hotel. Por volta de 12:00 fomos encontrar um amigo do meu pai. O pai de Adriana queria fechar negocio com ele e fomos ate a empresa dele, no Brás. Ficaram la por uns 30 minutos. Passamos rapidamente pela praça da sé, nossa proxima parada seria ao aeroporto de Guarulhos. Por volta de 13:30 estavamos la. Fomos ao restaurante almoçar. De barriga cheia nós (eu e Adriana) queriamos um tempo para nós e decidimos andar pelo aeroporto. Encostados em uma pilastra meio isolada do aeroporto, onde ferviamos em amassos calorosos. Por volta de 15:30 seus pais nos chamaram, era a hora da despedida. Sabe-se la quando iriamos nos ver denovo. Seus pais foram na frente e eu fiquei conversando por mais algum tempinho com ela. Alguns beijos e lembretes a mais foram passados de boca e ouvido ao outro. Ouve-se um chamado: "Adriana"... era seu pai a chamando. Soltei-a e olhando para trás ela entrou na sala de embarque. Tive de me segurar. Parecia que meu mundo ia acabar ali.

A volta para casa. --'
Sinceramente eu não tinha ideias de que iriamos ao aeroporto de Guarulhos para que ela fosse embora. Pensava que a despedida era no aeroporto de congonhas, uns 20 minutos da minha casa. Pensei comigo mesmo.. E agora? como eu volto? Nunca tinha ido para Guarulhos sozinho, estava no cú do mundo, minha casa era ao extremo, do outro lado de São Paulo. Apenas com 40,00 r$ na carteira. Estava frito --' Sai do aeroporto por volta da 15:45 e fui atras de um onibus que me deixasse o mais próximo possível de casa.
Encontrei um fretado que me deixaria em Congonhas, pensei comigo mesmo: MARAVILHA! estou em casa praticamente. Antes fosse assim -.- A passagem de volta de um aeroporto a outro custava 30,00 r$. Paguei. Era minha unica saída para ir pra casa. Entrei no onibus que estava praticamente vazio. Sentei na janela, fiquei olhando para a paisagem, aviões decolando, o gramado envolta verde e o céu um pouco nublado . Mandei algumas mensagens chorando demais ja. Porque tudo tinha de ser assim? Queria mt estar devolta com ela, largar tudo e correr devolta a seus braços. Antes fosse facil assim. Me restava as lágrimas e a esperança de ve-la novamente. O transito era intenso, congestionamento total. Acabei pegando no sono, acordei em congonhas 3 horas depois.. Ja eram 18:00 horas.. De congonhas tive que pegar um outro onibus para ir para casa. Peguei um onibus que aparentemente iria me deixar no metro Jabaquara e de la eu pegaria outro onibus que me deixaria praticamente perto de casa. Maldito onibus que me deixaria no Jabaquara. Passei do ponto e fui descer uns 3 pontos após o metro. Saco --' Voltei a pé mesmo e peguei outro onibus que ai sim fiquei bem proximo de casa. Nesse meio tempo, meu pai ficava me ligando querendo saber onde eu estava, falei que tinha muito transito. Ele não sabia que eu fui parar em Guarulhos e nem vai saber tão rapido --' Voltei a conversar com a minha namorada pela internet mesmo, voltariamos a nos ver nesse mesmo ano em Junho. Minhas aulas voltaram em fevereiro, colégio novo, gente nova, amizades novas. Conheci então meus bons amigos, João, Claudio e Donner. Somos hoje em dia inseparáveis.

Reencontro.
O ano foi passando devagar, como de praxe sustentamos a esperança de nos vermos o mais rapido possivel. Foi em junho. Meus pais me deixaram viajar de avião. Dei a noticia a minha amada. Seus pais e ela estariam me esperando no aeroporto. Passagem comprada, agora era só esperar o tempo passar até o dia da minha viagem.
Sábado, por volta das 8 da manha eu estava de pé com meus pais. Iriam me acompanhar ate a hora do embarque que estava programado para as 9 :30 da manhã. Foi o tempo de chegarmos no aeroporto e apenas nos despedirmos. Eu estava contente esperando meu embarque ser autorizado, logo estava eu dentro de um avião, minha primeira vez que viajaria de avião sozinho. Que emoção. É lindo ver as nuvens de cima, ver o céu completamente azul, e saber que abaixo das nuvens o tempo estava feio , nublado e ate chovendo. Nada podia estragar minha viagem, e foi o que aconteceu. O avião decolou quase 10:00 da manhã. Por volta de 12:30 estava fazendo escala na ilha de comandatuba, na Bahia. Desci de um avião e logo peguei outro com destino direto a Fortaleza, onde meu amor estaria a minha espera. O tempo não passava, eu dormia e acordava varias vezes. e nada de chegar em Fortaleza. Acordei com uma turbulencia pequena e logo em seguida o comandante do avião anunciou o aviso de apertar cintos, pois em instantes estariamos pousando. Uma cidade maravilhosa. Muito verde e nenhum prédio. Nada que se compare a imensidão de São Paulo que é cinza vista de cima e cheia de prédios. Avião pousado. Sai com pressa do avião, querendo encontrar logo minha namorada. Quando a vi foi um alivio. Estava em paz novamente. A beijei e abracei, para não ser mal educado, fui cumprimentar seus pais. Abraço forte em cada e logo estava nos braços de Adriana novamente *-*. Estávamos rumo ao carro e eu precisava dar uma paradinha no banheiro XD e lá fui eu pro banheiro rapidamente. Lavei as mãos :B e fomos para o carro com destino a casa de Adriana. Não demorou muito e estavamos em sua casa. Entrei em sua casa o mais calmo possivel, deixei minha mala em seu quarto e la ficamos. Amassos, beijos e mais amassos picantes. Nosso reencontro foi bom *-* Não saimos no primeiro dia em que chegue em Fortaleza. Ficamos em seu quarto mesmo, conversando, se beijando, e amor, estavamos quente!. Saimos do quarto, tinha companhia em sua casa, não queriaparecer bicho do mato e fui fazer a social. Conheci seu tio, seus amiguinhos pivets XD ate joguei winning eleven com o pivete. Fiquei na sala com o pessoal conversando um pouco, com minha Adriana ao meu lado.Um pouco mais a noite sua mãe fez Banana frita. Me desculpe mãe, não duvido que a senhora cozinhe bem, mas eu não gosto de misturar o doce com o salgado XD. Voltamos ao quarto a noite.
Estava ficando tarde e seus pais foram dormir. Ficamos na sala vendo tv e o clima começou a esquentar entre nós. Não queria abusar ou causar má impressão, acabamos indo para o quarto, mas não permanecemos ali por muito tempo. Sua mãe foi na sala logo em seguida e já não estavamos mais lá. Bateu na porta do quarto em que estavamos.Um beijo de boa noite e Adriana retirou-se do quarto, foi para o de sua mãe. Adormeci alguns minutos depois. Pela manhãzinha acordei com beijos. Foram as únicas vezes que adorei acordar cedo. Basicamente usamos essa minha ida a Fortaleza para nos aproveitarmos ao maximo. Saímos de casa poucas vezes, vi lindas paisagens. "O mar tem varios tons de azul" foi minha primeira reação ao ve-lo. Fomos no shopping, assistimos sex in the city 2, fomos no burguer king e no mcdonald's, esqueci a senha do meu cartão, fomos na pet shop do shopping e vi varios cães lindos filhotes, trocamos presentes. Voltavamos para casa e iamos para o quarto. Passei exatas 3 noites em sua cama. A ultima noite foi a melhor, porém como teria um fim foi a pior das noites.

Até a próxima amor.
Uma noite antes do meu ultimo dia em Fortaleza comemos pizza. Adriana queria sair da mesa e fomos para o carro de seu pai. Eles ficaram conversando na mesa. Queriamos passar a ultima noite juntos. Seus pais autorizaram que Adriana poderia passar a ultima noite no mesmo quarto que eu e, assim foi. A noite foi boa como os outros dias em que passei. Virei a noite acordado, abraçado a minha amada chorando como se fosse a ultima vez que nos veriamos. De fato, ate então essa foi a ultima vez que nos vimos. Ela dormia em meus braços. Estava tudo tão perfeito, só não queria que desse a hora de eu ir embora. Meu mundo podia parar ali mesmo, eu estava feliz por estar com ela. Uma lágrima minha escorreu pelo meu rosto e acabou caindo em seu rosto que adormecia em meus braços. Ela me beijou e falou para que eu não ficasse naquele estado. Tentei corresponder a sua frase, mas não dava. Soltei suavemente sua cabeça na cama e fui arrumar minhas coisas para a volta. Meu vôo partiria as 06:00. Estavam todos de pé as 05:00 a caminho do aeroporto ja. Tomei café, perguntava se ela queria comer algo, mas negava. Denovo, o momento estava se repetindo. A hora da despedida estava por vir. Abracei seus pais e agradeci pela hospedagem. São os melhores. Adriana me acompanhou ate a porta do embarque, me deu um beijo e foi a minha vez de olhar para trás. Olhei para trás ate não poder mais vê-la. Sua almofada com seu perfume era meu unico conforto, chorei antes de passar pelo detector de matais, chorei quando entrei no avião, chorei quando o aviao parou em salvador e também quando cheguei em São Paulo. Queria desesperadamente ouvir sua voz. Só foi possivel assim que cheguei em casa. Passei mal no avião. Depois que o avião pousou em Congonhas, meu pai estava do lado de fora do aeroporto, me esperando para irmos para casa. Fomos conversando, lhe contei as novidades e as paisagens que vi. Cheguei em casa e liguei rapidamente para Adriana, sua voz era meu alivio. Chorei também ao ouvi-la. Desde então estamos unidos a 1 ano e quase 4 meses, no aguardo e ansiosos para nos vermos novamente. Somos feitos um para o outro, de verdade, não consigo mais viver sem ela. Conversamos todos os dias, seja por mensagem ou ate mesmo por ligações. Iremos nos casar, ainda sustento minha proposta. Firme e forte e não pretendermos terminar por nada nem ninguém que se atrever a cruzar nosso caminho. Eu aguardo ela, aonde quer que seja ou onde estiver.

Pra sempre Adriana Lucia Ayala Dominguez <3






© 2007-2018 by Dicionário online de português
Procure em mais de 5 milhões de palavras.
Sobre nós | Nossa história | Dúvidas? | Banner | Regras e termos de uso | Política de privacidade | Programa de Afiliados

Projeto de Conhecimento - a fim de promover o idioma português e reforçar a importância individual de palavras em português com aula virtual (perguntas e respostas), traduções em inglês, espanhol e alemão, significados, sinônimos e verbos. Seu dicionário português online.